Chegou a hora de desfazer a sociedade. E agora?

Quando duas pessoas ou mais decidem estabelecer uma sociedade para conduzir um negócio, é necessário que tenham objetivos semelhantes e que haja sinergia entre as partes. Mas e quando chega o momento de tomar rumos distintos? Como guiar o término de uma sociedade da forma mais adequada?

sociedade

Mesmo dando início a um projeto compartilhando das mesmas opiniões e expectativas, é possível que tudo isso mude em algum momento no futuro. Por isso, os parceiros precisam saber como guiar uma separação sem gerar muitas complicações, mantendo o bom funcionamento da empresa que por algum tempo conseguiram administrar juntos.

Antes de partir para a questão da separação dos sócios propriamente dita, é importante frisar que muitas dores de cabeça podem ser evitadas se houver um planejamento desde o início da relação. Não importa se a sociedade surgiu pela necessidade de apoio moral, auxílio por nível de experiência ou por necessidade financeira, as pessoas devem separar com clareza as suas responsabilidades. Dentro do planejamento que deve ser feito é fundamental definir detalhadamente qual será o papel de cada um na empresa para que não exista um desequilíbrio entre os sócios.

Se estabelecer as posições a serem ocupadas por cada um é uma forma de tornar tudo menos complicado, por que não traçar um plano para um possível término de sociedade? Afinal, como já mencionado, a situação pode mudar. Por mais que os sócios estejam na mesma página no início de tudo, imaginar que continuarão concordando em todos os aspectos e que estarão felizes com a parceria pelo resto da vida é algo ingênuo de se pensar.

É muito melhor planejar essas possíveis ações quando todos convivem de maneira amigável, do que esperar o momento e gerar uma grande tensão entre as pessoas. Isso tudo pode refletir na saúde da empresa. Algo que nenhum empresário em busca do crescimento do seu negócio deseja, não é verdade?

Portanto, a forma mais inteligente de conduzir a saída de um sócio é evitando conversar sobre a separação ou tomar decisões quando estiver com as emoções à flor da pele. Outro fator importante para quem permanecerá à frente da empresa é ter consciência do que é melhor para ele e para a empresa, pois precisa estar preparado para definir como as coisas funcionarão a partir desse momento. E caso essa pessoa sinta dificuldades para decidir quais são as melhores alternativas, nada melhor do que buscar algum profissional confiável para auxiliá-lo.

Por fim, se a separação for a única alternativa e você for o responsável pelo prosseguimento dos negócios, com as ações especificadas em contrato social, além de preparo e paciência, muito drama pode ser evitado. É importante pensar que, por mais que você esteja disposto a resolver tudo da melhor maneira possível, ainda existe a possibilidade da outra parte querer tornar tudo mais cansativo. Logo, esteja preparado, mantenha a calma e não dificulte a situação. Só assim é possível encontrar uma solução razoável para todos os envolvidos e seguir trabalhando para que a empresa se mantenha de pé.

Se quiser dicas de como tornar a sua empresa autogerenciável, rentável e escalável, para que ela possa ser vendida no futuro, acesse os outros conteúdos aqui do site!

Equipe EV