As 5 forças de Porter: analisando a competitividade dos setores

Antes de iniciar um negócio é fundamental que os empresários busquem conhecimento sobre alguns aspectos para que o desenvolvimento de seu negócio seja bem sucedido. O quão atrativo é o setor no qual pretende atuar e como funciona a concorrência são alguns desses aspectos. E por meio do modelo das 5 Forças de Porter é possível analisá-los para saber de que maneira atuar.

porter

Esta forma de analisar a competitividade que uma empresa pode enfrentar em seu mercado surgiu no fim da década de 70, desenvolvida pelo professor Michael Eugene Porter. Nela ele definiu cinco pontos a serem observados para que, a partir deles, os empresários possam traçar estratégias que os possibilitem ocupar uma posição favorável diante da concorrência. São as 5 Forças de Porter: ameaça de novos entrantes, ameaça de produtos substitutos, rivalidade entre concorrentes, poder de barganha dos fornecedores e poder de barganha dos consumidores.

Ameaça de novos entrantes

Nesta força devem ser identificadas as barreiras que existem e podem dificultar a entrada de novos empresários para trabalhar no mesmo mercado que você. Quanto mais obstáculos puderem ser encontrados por eles, melhor será para as empresas já atuantes. Alguns fatores que somam dificuldade à entrada em um determinado setor: o valor necessário para dar início ao negócios, a existência de produtos inovadores, marcas com uma imagem forte, política governamental, patentes etc.

Ameaça de produtos substitutos

Apesar dos concorrentes diretos serem os principais alvos da maior parte das empresas, negócios com os quais investem mais tempo e se preocupam com mais frequência, os produtos substitutos também podem significar uma grande ameaça. Pois, mesmo não oferecendo produtos com as mesmas características, ao mesmo preço ou com a mesma qualidade, podem conquistar um espaço no mercado, atendendo às necessidades dos consumidores de uma forma diferente. Logo, é importante estar atento e identificar se outros empresários podem encontrar certa facilidade em oferecer produtos ou serviços que de alguma maneira torne o seu negócio menos relevante.

Rivalidade entre concorrentes

Nesta parte da análise é necessário identificar se já existem muitos concorrentes lutando para conquistar os clientes deste mercado e se há espaço para que você atue nele. Além disso, buscar conhecer o tipo de valor que os concorrentes diretos geram aos consumidores, quais benefícios entregam por meio de seus produtos ou serviços, para definir se é possível se desenvolver no setor em questão e de que forma pode ser melhor que eles.

Poder de barganha dos fornecedores

Quando a tarefa é perceber quanto poder possuem os fornecedores do mercado escolhido por você, é fundamental atentar para a quantidade! Se existem poucos fornecedores aos quais você pode recorrer, eles terão nas mãos a possibilidade de definir, por exemplo, a que preço disponibilizará a você seus produtos. O que não é nenhuma vantagem para quem busca ter controle sobre o próprio negócio. Logo, quanto mais escolhas de fornecedor tiver e menor a raridade daquilo que busca, mais livre se verá da dependência deles.

Poder de barganha dos consumidores

Como mencionado sobre os fornecedores, também é importante que a empresa não fique nas mãos de um volume pequeno de compradores. Dependendo também de seu nível de informação, o cliente pode influenciar no preço pelo qual os produtos ou serviços são oferecidos, bem como em seu nível de qualidade, dentre outros aspectos.

Ao ficar atento quanto a essas cinco forças presentes no modelo de Porter, você, empresário, tem a possibilidade de planejar melhor a sua entrada em determinado setor, de forma que o espaço para o crescimento do negócio não seja limitado por concorrentes, fornecedores ou clientes.

Para ter acesso a mais dicas de como guiar a sua empresa para que, um dia, ela possa ser vendida, caso queira, acesse aos outros conteúdos aqui do site!

Equipe EV